Ragnarock

Sexta de Aluguel – Ragnarok Online – PC

Read Time:7 Minute, 38 Second

Olá, meus amigos, como estão? Hoje, o aluguel é um dos jogos que mais joguei e um dos mais que fiz amizades online. Meados dos anos 2000, meus pais fizeram um esforço danado para comprar um PC, e compraram o que poderiam um PC da Positivo todo bege, era a última moda, CPU, estabilizador e monitor todo bege. E um dos jogos instalados nele era o Ragnarok Online, saudoso MMORPG online. Um amigo meu da época de igreja me parou um dia e disse: Marquinhos, eu sei que você gosta de jogar videogame, instala esse jogo no seu PC e entra no servidor tal, que a gente joga junto. Mal sabia ele, que eu já tinha visto o comercial do Ragnarok online na Televisão e estava querendo muito, mas muito jogar.

Cheguei em casa, quem disse que lembrei, não, eu não lembrei do servidor que ele jogava, mas instalei o jogo Ragnarok Online, e jogava o servidor não oficial, o servidor XileRO, e quem diria que este servidor me traria uma das melhores histórias dentro do vídeo game que tenho hoje.

Vamos falar do jogo, Ragnarok Online é um MMORPG, um jogo que está sempre recebendo novas atualizações, chamadas de “episódios” que trazem novidades como mapas, itens, monstros, etc. No Brasil, o jogo foi lançado em 2004 no episódio A fantástica caverna de Comodo, recebendo sua primeira expansão em janeiro de 2005. Inicialmente, você inicia criando seu personagem, colocando os status que você quer, ou acha que deve colocar, iniciando literalmente o jogo como um noviço. No servidor que jogávamos, você teria que conseguir subir 10 níveis para poder escolher sua primeira classe, que eram na época:

Espadachim, como próprio nome diz, seria a classe guerreira, a segunda classe após o nível 50 seria Cavaleiros ou Templários. Magos, utilitários de magia de diversas formas, sejam de fogo, vento, gelo, utilizando cajados poderosos para aumentar o dano massivo de suas habilidades. Gatunos, ou ladrões nos jogos de RPG, normalmente utilizam duas armas, uma em cada mão, são jogadores furtivos, classes secundárias são os Mercenários e Arruaceiros. Mercadores, os lojistas do jogo, além de forjadores de itens, também poderiam ficar nas cidades, mas o point de vendas era em Moroc, e você encontrava o que queria ali. Suas classes secundárias são: Ferreiros e Alquimistas. Noviços, os magos brancos do jogo, utilizam as magias brancas para curar, fortalecendo a si ou a companheiros, suas classes secundárias são: Sacerdotes e Monges e por fim Arqueiros, que utilizavam ataques de longo alcance e utilizavam ajuda de seu falcão, suas classes secundárias são: Caçadores que utilizam arcos e flechas e o falcão, personagens masculinos poderiam ser Bardos, e utilizar instrumentos musicais para dar fortalecimento ou até atributos negativos em outros personagens, caso o personagem fosse feminino poderia se tornar uma Odaliscas, que da mesma forma que o bardo utiliza de instrumentos musicais para fortalecer ou até enfraquecer outros personagens. Hoje em dia, já temos as transclasses, ou seja, temos ainda mais classes, o jogo ainda continua sendo atualizado, e a comunidade brasileira de Ragnarok online é bem ativa.

Ragnarok me passa a sensação de liberdade até hoje, onde você poderia fazer o que quisesse, exemplo, além de ter seu próprio personagem, você poderia ter um pet, você poderia criar um clã, você poderia adotar alguém, você poderia focar nas quests, e você poderia até se casar, e claro que cada uma dessas atividades você deve ter um certo nível necessário. Um exemplo, na época em que eu jogava, eu colecionei todos os Escudos com todas as cartas que poderiam ser colocadas nelas, e sim, era um tipo só de escudo e eu ficava pesquisando qual monstro tinha carta para colocar no escudo, eu ficava lutando com o monstro até ter a carta e colocar no escudo. Iniciei as atividades como um arruaceiro ou sua classe final Algozes (Assassin Cross no servidor), não tinha brincadeira com o Assassin Cros será dano alto, rápido e crítico. Lembro muito bem, passava quase o dia todo farmando em Amatsu, uma localidade no jogo onde vencer os ninjas dropava item para vender, e assim era a vida para tentar ter dinheiro e comprar itens bons.

O jogo tem uma imagem muito amigável até hoje, ouvir a música da Cidade de Prontera é algo que literalmente meche com meus sentimentos, e eu sinto que ele é um confort game na minha opnião, pois desde ter músicas maravilhosas, que mantém o ritmo do jogo, você tem uma certa liberdade para fazer o que quiser, e eu não tinha vivido isso em nenhum jogo até agora. Você joga no teclado e, as suas habilidades, você utiliza os botões acima do teclado, desde F1 até o botão F11 pode ser alguma habilidade ou item para utilização rápida.  Essas teclas são ainda mais utilizadas para Magos, onde as magias em área são executadas, e no servidor em que jogávamos, dependendo do personagem, o carregamento da habilidade era muito rápido.

No início, eu falei sobre que uma das melhores histórias dos videogames, sim, e recordar isso vale muito a pena. Creio que já estava jogando há algum tempo, alguns meses, e estava feliz farmando em (Nifflheim) uma localidade, e eu estava ali apenas para subir de nível, nada de mais, até que vi um Paladino de nome Higen, e pensei: será que era para ser Hagen, do Cavaleiros do Zodíaco? Mas segui feliz, farmando, ele passou mais uma vez e enviei um emote de positivo a ele   que respondeu da mesma forma, perguntei se era BR, pois como o servidor não era brasileiro, você encontrava pessoas do mundo todo, e sim, esse meu grande amigo Higen é BR. E quem diria que esse Paladino se chamava de verdade Fernando, e me apresentaria seus 2 amigos Bruno (Ziegfried) e Jaum, não lembro o nick do Jaum no jogo, o meu era KrWlng. Fortalecemos essa amizade tanto que até hoje nos conhecemos, e não foi só nos campos de batalhas do Ragnarok Online, mas fora dele, chegamos a nos conhecer, pois tínhamos uma Guilda dentro do jogo, chamada Os Cavaleiros de Athena, dá para entender o hype nos cavaleiros do Zodíaco. As batalhas, a mais icônica dela, foi em uma Guerra do Empérium, que no jogo você poderia invadir um dos castelos existentes em um determinado tempo, vou mencionar as cidades que tinham castelos e sua quantidade abaixo:

Payon cidade com 5 castelos. Feudo de Al de Baran 5 Castelos. Feudo das Valquirias e os castelos mais difíceis de serem conquistados na cidade de Prontera 5 Castelos. Feudo de Geffen mais 5 Castelos.

Resumindo a Guerra do Empérium se torna um PVP (Player versus Player), onde cada clã tenta tomar o castelo para si, onde você adentra o castelo vencendo os NPC que ficam para defender o castelo, e na sala final além dos players que ficam para defender tem um Empérium Gigante que deve ser quebrado, onde assim que ele é quebrado e o servidor automaticamente informa que o castelo foi tomado por tal clã, e você e seu time tem que defender ele, até o tempo acabar. Bem Geffen e o Castelo de Bergel, nossa equipe composta por poucas pessoas para adentrar o castelo, Markinhos de Assassin Cross, Nando (Higen) de Paladino, Bruno (Ziegfried) de Cavaleiro Lorde, Jaum de Cavaleiro Lorde, Marcus um amigo meu de escola de Mago, Debora amiga nossa de Atiradora mais coragem do que juízo, não tínhamos comunicação via voz na época, minha internet era discada e tudo era literalmente digitado e faltando apenas 3 minutos para o fim da Guerra, digitamos ao mesmo tempo, BERGEL. Pois tínhamos vencido uma luta neste local, e os castelos mais afastados do centro, guildas menores, sempre lutavam ali. Todos entramos juntos, e nos deparamos com outra guilda BR, os Anjos da Noite, para nós éramos nossos rivais, mas eu acho que eles não ligavam para a gente. A luta inicial foi intensa, conseguimos vencer, partimos para a parte final quase todos com o HP baixo, até que voltei para segurar outros players, fui ao sacrifício, sim, faria novamente, obvio, confiava demais no meu time. E assim, pela primeira vez, nossa Guilda Os Cavaleiros de Athena tinham sua bandeira fincada na cidade principal Prontera. Acabou a guerra, eu pulava dentro de casa, gritava como se tivesse sido campeão de algo, sei lá, foi indescritível, alguns minutos depois, desliguei o PC após a comemoração, liguei para o Higen, gritamos horrores e comemoramos nossa vitória. Eu fico muito feliz por ter essa lembrança de um dos jogos que fez muita parte da minha vida, e até hoje, por pura nostalgia e conforto, me pego instalando um servidor diferente para relembrar essa sensação.

Gosto tanto até hoje de Ragnarok Online, que tenho completo a coleção dos Mangás que foram lançados pela Editora Conrad, e o Guia Oficial do Brasil Ragnarok Online, onde descreve todas as classes e como devemos distribuir cada atributo. Bem espero que tenham gostado da resenha e a história sobre Ragnarok Online de PC, e você joga, já jogou em algum servidor, ou até mais, tem alguma amizade iniciada em algum jogo online, conta para gente.

Happy
Happy
50 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
50 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post BLUD! #Vampiros #Hóquei #MamãeTemUmLivroReceitas e claro Facebook paranormal!
Next post Sexta de Aluguel – Super Hang On / Mega Drive