SEXTA DE ALUGUEL: SIDE POCKET – SNES

Read Time:4 Minute, 21 Second

Side Pocket – 1993
Desenvolvedores: Data East, Acclaim Studios Austin, ISCO

Senhoras e senhores, peço a vocês que vistam os melhores trajes, pois hoje escreverei sobre um clássico, um dos jogos mais alugados nos anos 90 para meu Super Nintendo. Meus amigos, hoje tenho o prazer de falar sobre Side Pocket. O jogo foi mais jogado pelo meu pai do que por mim, principalmente por ser um dos jogos em que eu não conseguia vencê-lo. Ele jogava muito bem Side Pocket, talvez por já saber jogar a boa e velha sinuquinha.

Mais uma sexta-feira chegava, e eu e meu pai, Sr. Marcos, íamos à Scorpion Games. Eu já tinha meu Super Nintendo e estava sempre em busca de algum jogo novo para descobrir, tentando sempre encontrar algum jogo para dois jogadores, para que meu pai pudesse jogar comigo em algum tempo livre. Normalmente, os jogos que meu pai se atrevia a jogar eram os de futebol, que até hoje são os que mais o divertem. Voltando à Scorpion Games, ao entrar no corredor de jogos de Super NES, vi aquela caixinha com várias bolinhas de bilhar. Achei a caixa muito bonita e, de fato, ela continua bonita até hoje. O comentário do meu pai foi:

-Você tem certeza que vai levar esse jogo?
Respondi prontamente:

Sim! Talvez possamos jogar juntos, né?

Foi amor à primeira alugada. Side Pocket é um jogo de bilhar ou sinuca, dependendo da sua região, e não é só um jogo, é um passatempo maravilhoso. Eu sou bem ruim, não vou mentir, não consigo passar da segunda cidade até hoje, e já vi gente que consegue zerar o jogo em questão de minutos. Mas meu foco inicial foi atingido: o modo de dois jogadores, para jogar com meu pai. E vou te falar, foram muitos domingos jogando Side Pocket com ele. Eu perdia, sim, mas a intenção era estar ali, jogando com ele.

Sobre o jogo, a introdução de Side Pocket é linda, desde a Publisher Data East mencionando seu nome antes de iniciar o jogo. “Present by Data East” é icônico, da mesma forma que a antiga introdução da Capcom nos jogos de Mega Man X ou a introdução da Konami. Todas essas são maravilhosas, mas a introdução da Data East para esse jogo é algo acima da média. Após a introdução, a tela inicial é linda: ao fundo, você vê prédios refletidos em um lago e um rapaz em um carro, o que deixa claro o ar noturno do jogo, algo mais adulto do que o convencional. Para uma criança, essa imagem já conquistava. O menu do jogo era bem simples, com quatro modos de jogo: 1P Pocket Game, que se trata do modo história, onde você vai vencendo desafios e mudando de cidades; 2P Pocket Game, desafio com dois jogadores na melhor de cinco jogos, onde quem vencer a maioria se sagra o vencedor; 2P 9-Ball Game, desafio para dois jogadores onde o vencedor é quem conseguir encaçapar a bola 9 primeiro; e o famoso Trick Game, uma série de 19 desafios onde, vencendo todos, você abre uma imagem.

Algo fora de série neste jogo são as músicas. Sei que Side Pocket saiu para outras plataformas, mas este texto é sobre a versão de Super Nintendo. Desde a primeira música, um misto de jazz que te coloca em um tipo de pub chique, onde você está tomando uma cerveja e jogando sinuca com seus amigos apenas por diversão, o Markinhos criança tinha toda essa sensação com as músicas de Side Pocket. Eu literalmente me transportava para aquele lugar. A trilha sonora do game ficou a cargo de Emi Shimizu, e é uma obra de arte. A primeira música, “Whispers”, que se passa no primeiro desafio do jogo, é maravilhosa e consegue ambientar o jogador. É algo mágico, indescritível. “Cue Ball Boogie”, outra música, também consegue ambientar o jogador, e eu fico impressionado como os desenvolvedores conseguiam fazer tanto com tão pouco.

Além das músicas maravilhosas, o jogo responde muito bem, desde uma tacada mais forte até uma tacada mais fraca, apenas para posicionar alguma bola ou ganhar uma bonificação por encaçapar em ordem numérica. Essa simplicidade do jogo me conquistou, pois era apenas isso: encaçapar bolas em um jogo de sinuca. Meu pai nunca gostou de frequentar bares, sempre foi muito caseiro, então essa era a sensação que conseguíamos ter jogando Side Pocket, e eu tenho muito carinho por esse jogo de sinuca.

Pesquisando sobre Side Pocket, descobri que ele possui uma versão arcade lançada em 1986, e houve ports dessa versão para Nintendo Entertainment System (Nintendinho) e Game Boy, que recebeu algumas versões aprimoradas para Game Gear e WonderSwan. Ou seja, a versão de Super Nintendo e Mega Drive é um remake aprimorado. Além disso, Side Pocket de Mega Drive e Super Nintendo apresenta uma representação fotorrealista dos protagonistas do jogo, que são uma homenagem ao filme de 1986, A Cor do Dinheiro, com ambos os jogadores assemelhando-se aos personagens Vincent Lauria, interpretado por Tom Cruise, e Fast Eddie, interpretado por Paul Newman no filme.

E você, tem lembranças boas com Side Pocket? Já chegou a alugar esse jogo? Conta pra gente!

Happy
Happy
20 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
60 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
20 %

Average Rating

5 Star
100%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

2 thoughts on “SEXTA DE ALUGUEL: SIDE POCKET – SNES

  1. Lembro de ver esse jogo na locadora, mas nunca cheguei a jogar. Mas, imagino que deve trazer boas lembranças para quem jogou e principalmente no seu caso, compartilhar essa memória com o seu pai.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post SEXTA DE ALUGUEL: Street Fighter Alpha 2 – Sega Saturn
Next post Asleep – Ato 1: Uma Imersiva Jornada de Terror Psicológico no Nordeste Brasileiro (Contém Spoiler!)