Elden Ring – Shadow of the Erdtree: Os Primeiros Passos

Read Time:6 Minute, 12 Second

Olá, meus Lordes e minhas Lordes Pristinas, como vocês estão? Espero que estejam se divertindo nesta nova área de um dos melhores jogos já lançados.

Primeiramente, gostaria de agradecer à Theogames e à Bandai Namco por cederem uma chave para avaliar a novíssima DLC de Elden Ring. Mais uma vez, muitíssimo obrigado!

É difícil mensurar o quão impactante está sendo essa DLC para mim. Parecia uma criança ansiosa para jogar ou para brincar com um brinquedo novo que queria há muito tempo. Shadow of the Erdtree está sendo tudo isso para mim e para todos os que já jogaram Elden Ring, ainda mais apaixonados, e de quebra mostrando para quem não jogou Elden Ring que deem uma oportunidade ao jogo.

Os títulos da From Software deixam claro que acessar o novo conteúdo não será tão intuitivo assim. Sem um menu inicial ou mesmo um atalho mais óbvio que leve o jogador para a nova história, muita gente pode se sentir perdida mesmo após comprar a DLC. Resumindo, para acessar a DLC você deve enfrentar dois bosses do jogo base, o General Radahn e o Lorde de Sangue Mohg. A From Software e a Bandai Namco já revelaram como acessar o novo conteúdo adicional para explorar a Terra das Sombras.

General Radahn
Lorde de Sangue Mohg

Eu digo que é difícil mensurar devido à beleza desta DLC, pois ela já te choca inicialmente nos primeiros segundos do jogo. Entrando na nova área a ser explorada, seu personagem fica de frente à Térvore do Reino das Sombras como uma mensagem de boas-vindas do criador Hidetaka Miyazaki, muito entre aspas.

Digo entre aspas porque o jogo deixa claro que essa nova área evoluiu em conjunto com você no jogo base, ou seja, dependendo do nível que você estiver, quem você enfrentar será tão forte quanto você. Mas isso, na minha opinião, não é ruim, pois temos aqui um novo modo de progressão de nível além do já existente que é gastando as runas. Falo das Bênçãos da Umbrárvore e das Bênçãos da Cinza Espiritual Reverenciada, que ajudam seu personagem aumentando tanto a resistência a dano quanto ao aumento do dano e dos seus atributos. A DLC deixa claro que existem novos meios que devem ser explorados para a finalização dela, junto com atributos, armas, habilidades e armaduras novas para serem usadas e que o player possa desfrutar da melhor maneira possível.

Jogando inicialmente a DLC e apreciando calmamente cada pedacinho, principalmente da Planície do Cemitério, a área inicial, não vou mentir: com meu personagem, a arrogância era muito grande. Minha build de pura força usando uma espada de longo alcance me fazia sentir tranquilo, até encontrar o Gigante de Fogo. Para quem é leitor do mangá Berserk, do saudoso Kentaro Miura, sabe que há inúmeras representações em Elden Ring. Mas, obviamente, desviei do mesmo e, seguindo à esquerda, encontrei o Mausoléu Anônimo do Oeste, que fica à esquerda assim que iniciamos a DLC. A arrogância se foi após as derrotas para o chefe do Mausoléu. Entendi: não desmereça nenhum monstro, boss ou o que seja da DLC, pois o maior ensinamento de um jogo Souls Like são as mortes. Se você morreu é porque errou algo ou talvez não esteja forte o suficiente para estar em determinada área. Mas utilizei meus recursos, buffs, elixir magnífico e a vitória, com certo tempo, chegou.

Neste ponto, já começamos a entender que o jogo vai utilizar tudo do set estruturado a ele, desde mover-se silenciosamente para não ser visto até compreender se devo ou não enfrentar tal monstro que está à minha frente. E isso, meus amigos, vira uma dúvida cruel, pois você vem extremamente forte do jogo base, o que você mais quer é derrubar geral, seja na porrada ou na magia. Mas aí que o jogo te surpreende: independente do set que você use, seja uma build mágica ou uma build tanque, os monstros dão um certo trabalho, e isso sem me referir aos bosses ainda. O dano recebido é alto, e novamente volto ao questionamento: vale a pena enfrentar esse monstro? Talvez sim, talvez não. São os questionamentos que nos fazemos em sua grande maioria nos jogos de Souls Like.

Após essa primeira batalha, já encontraremos NPCs que irão ajudar em nossa jornada. E ajudar mesmo. Um dos NPCs já no primeiro boss pode ser invocado: Cavaleira da Agulha Leda. Claro que, se utilizarmos a ajuda dos NPCs, o HP do boss ganha um certo aumento, mas, pensando que a dificuldade do jogo está um pouco maior, é de se pensar se vale a pena ou não. E já falando em boss, o Leão Dançante é lindo de se enfrentar. Ele me lembrou um pouco, devido à música e ao estilo da luta, um pouco de Shadow of the Colossus, pois o Leão tem várias formas de lutar além de utilizar várias habilidades diferentes. Gostei muito de lutar contra ele, além de ser belíssimo.

Falando de música, é um dos pontos altos desta DLC. As lutas contra bosses têm músicas que literalmente fazem com que as lutas sejam ainda mais épicas. Dependendo da localidade em que você esteja, a música é muito baixa, mas tão baixa para te passar a sensação de medo em certos lugares e em certas dungeons.

Mencionando as novas dungeons, percebi que estão bem mais explorativas, pois ganharam uma maior profundidade. Além disso, as formas de finalizá-las estão bem diferentes. Onde antes finalizaríamos em poucos minutos, hoje, em determinadas dungeons, 30 minutos ou mais para explorar por completo é pouco. Algumas estão completamente sem iluminação alguma, onde devemos utilizar o mínimo de barulho possível para não sermos atacados. Em outras, devemos saltar em vasos para conseguir descer em andares ou até subir. E não me esquecendo: haverá outras onde, para acessarmos o final, deveremos nos lançar em determinado abismo. Pois, como sabemos, dependendo da altura, a queda é mortal. Mas na DLC, dependendo do local, esse tipo de salto é recompensador.

Elden Ring, para mim, é um dos melhores jogos existentes. Sempre recomendo para meus amigos ou, quando algum amigo meu vem em casa, faço questão de mostrar e/ou ensinar algo do jogo. Não só por sua beleza, mas também porque ele tem um pouco da jornada do herói. Onde seu personagem é você ali, com habilidades mágicas ou com uma força descomunal, lutando contra dragões, cavaleiros com armaduras pesadas, além de lendas dentro do jogo, como Malenia, Maliketh e outros.

A DLC Shadow of the Erdtree amplia ainda mais o que já tínhamos visto. Sua beleza é, sim, sem igual para o momento. Haverá locais onde o mix de cores é perfeito. E, por mais que discutamos sobre sua dificuldade maior do que o jogo base, ter a oportunidade de jogar essa DLC, que em minha opinião deixa claro que a indústria de games ainda tem muita coisa para vender, tem muitas coisas a nos mostrar, e que seremos surpreendidos com o tempo. Fazia um bom tempo que não me empolgava tanto em jogar um jogo. Mesmo hoje, ainda, a cada oportunidade de jogar, me sinto surpreendido com cada área nova, cada boss novo ou até com cada área secreta que vamos descobrindo com essa nova DLC. Se você já jogou Elden Ring e está em dúvida ou com receio devido à dificuldade, não tenha receio. Você jogará um dos melhores jogos de todos os tempos já criados.

Happy
Happy
67 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
33 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post O Que Esperar da gamescom latam e Big Festival?
Next post gamescom latam: As primeiras impressões do Zeenix da Tectoy.